• Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos.

    Mateus 5:44,45

  • Disse-lhes ele: Por causa da vossa pouca fé; pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele há de passar; e nada vos será impossível

    .

    Mateus 17:20

  • Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, e não vai após a perdida até que a encontre?

    Lucas 15:4

  • Então ele te dará chuva para a tua semente, com que semeares a terra, e trigo como produto da terra, o qual será pingue e abundante. Naquele dia o teu gado pastará em largos pastos.

    Isaías 30:23

  • As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem;

    João 10:27

prev next

Bem vindos!!

Sejam bem-vindos ao novo site e-cristianismo!! Nosso site foi recentemente invadido, então estamos trabalhando para recuperar o conteúdo. Esperamos terminar esta tarefa em breve.

Verso do dia

João 1.1: Gramática ou Interpretação?

Escrito por  Marcelo Berti
Joao 1:1

A pessoa não perita nas línguas bíblicas originais não precisa ficar tomada de reverência por aqueles que citam regras gramaticais. Nenhuma regra de gramática irá contradizer a mensagem geral da Bíblia. Semelhantemente, o honesto instrutor da Bíblia sabe que é o texto da Bíblia que é inspirado. Os livros de regras gramaticais não são, embora sejam de ajuda – Sentinela, 22 de Novembro de 1972, pp28

Muitas pessoas já passaram pela dificuldade de se entender um texto bíblico traduzido, entretanto, muitas delas não sabem como pode ser difícil fazer o mesmo lendo no idioma original. É por isso que para ser um tradutor das escrituras exige-se que se tenha um grande conhecimento da língua que se propõe a traduzir, para que pessoas das mais diferentes classes possam ler a aproveitar o texto que leem.

Todavia, encontramos diferentes opiniões sobre como poderia ser traduzido o texto de João, que a TNM assim verte: “No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com o Deus, e a Palavra era [um] deus”. Por outro lado, diversas traduções diferem especialmente da parte final desse texto, e afirmam que nesse texto João ensina que Jesus é Deus. Os que pensam assim dizem que uma regra de gramática grega não permite que o texto seja traduzido como vemos na TNM, mas será isso verdade?


Em primeiro lugar, temos que admitir que o texto deixa claro que Jesus não é o Deus Todo-Poderoso com quem estava, pois o texto diz: “e a Palavra estava com o Deus”. Vale a pena dizer que nenhuma versão tem outra leitura para esse verso. Ou seja, o texto não pode estar dizendo que Jesus é o Deus com quem estava.

Em segundo lugar, devemos lembrar que não existem regras gramaticais que sejam suficientes para dizer que Jesus é o Deus com quem Ele estava. O texto nesse lugar é claro e deve ser respeitado. Não devemos permitir que pessoas que tentam distorcer as escrituras nos convençam do contrário com suas falácias gramaticais.

Por outro lado, devemos ter severa cautela com o que a Sentinela no informa na citação inicial, pois ela diz: “Nenhuma regra de gramática irá contradizer a mensagem geral da Bíblia”. Embora isso seja absolutamente verdade, não podemos cair no exagero e ignorar o que a gramática de um texto fala sobre ele. Por exemplo, nesse mesmo verso, sabemos que o texto não pode falar que Jesus é o Deus com quem estava, mas isso determina que ele é [um] deus? Certamente não.

Por isso, é importante conhecer um pouco mais sobre a gramática do texto de João 1.1 para podermos saber o que o texto está ensinando de fato. Um detalhe interessante sobre a gramática grega é que normalmente a ordem das palavras e o uso do artigo não faz diferença. Por exemplo, afirmar que Jesus ama Paulo em grego koinê, pode ser escrito de 16 formas diferentes sem alteração de significado:

1.᾿Ιησοῦς ἀγαπᾷ Παῦλον

2.᾿Ιησοῦς ἀγαπᾷ τὸν Παῦλον

3.ὁ ᾿Ιησοῦς ἀγαπᾷ Παῦλον

4.ὁ ᾿Ιησοῦς ἀγαπᾷ τὸν Παῦλον

5.Παῦλον ᾿Ιησοῦς ἀγαπᾷ

6.τὸν Παῦλον ᾿Ιησοῦς ἀγαπᾷ

7.Παῦλον ὁ ᾿Ιησοῦς ἀγαπᾷ

8.τὸν Παῦλον ὁ ᾿Ιησοῦς ἀγαπᾷ

9. ἀγαπᾷ ᾿Ιησοῦς Παῦλον

10. ἀγαπᾷ ᾿Ιησοῦς τὸν Παῦλον

11. ἀγαπᾷ ὁ ᾿Ιησοῦς Παῦλον

12. ἀγαπᾷ ὁ ᾿Ιησοῦς τὸν Παῦλον

13. ἀγαπᾷ Παῦλον ᾿Ιησοῦς

14. ἀγαπᾷ τὸν Παῦλον ᾿Ιησοῦς

15. ἀγαπᾷ Παῦλον ὁ ᾿Ιησοῦς

16. ἀγαπᾷ τὸν Παῦλον ὁ ᾿Ιησοῦς

Observe que a ordem das palavras e o uso do artigo nesse caso é indiferente: Não há mudança de significado nenhum. Contudo, quando a frase é escrita com verbo de ligação (ser, estar), a coisa muda de figura, e o uso do artigo e a ordem das palavras é fundamental. Entretanto, existe um padrão para identificarmos como traduzir sentenças assim (verbos sempre em itálico):

1. CONSTRUÇÃO INTERCAMBIÁVEL (Sujeito e predicativo do sujeito definidos): Nesse tipo de construção, sujeito e predicativo do sujeito levam artigo, independente da ordem das palavras. Ex. “ὁ πατήρ μου ὁ γεωργός ἐστιν” Jo.15.1 (Meu Pai é o Agricultor – O Agricultor é o Meu Pai).

2. CONSTRUÇÃO ANARTRA E PRÉ-VERBAL: (Predicativo do sujeito sem artigo no original antes do verbo): Nesse tipo de construção, quatro sentidos são possíveis: Definido, Correlato, Qualitativo e Indefinido:

  • Definido: Dependendo do substantivo usado, a sentença é definida, embora não tenha artigo. Ex. “σὺ ___βασιλεὺς εἶ τοῦ ᾿Ισραήλ” (Tú és O Rei de Israel – Jo.1.49). Não é um Rei, é O Rei. Veja também: Jo.17.17 (“ὁ λόγος ὁ σὸς ____ἀλήθειά ἐστι” – Tua palavra é A verdade). (cf. Jo.3.29; 9.5). Esse uso não é comum em João e no NT (Jo.1.49; 5.27; 9.5; 7.17; 19.21).

  • Correlato: Nesse tipo de construção, o sujeito pode ter artigo ou não, mas o predicativo do sujeito não tem, mas é colocado antes do verbo e traduzido sem artigo. Ex. “ὅτι ἐμοὶ ___μαθηταί ἐστε” Jo.13.35 (Sois meus discípulos). Veja também Jo.18.37: “βασιλεὺς εἶ σύ” (Tú és rei). Esse uso não é comum, mas quando se trata de questões temporais é o modo correto a se traduzir (Jo.5.10; 21.4).

  • Qualitativo: Nesse tipo de construção o sujeito pode ter ou não artigo, mas o predicativo não tem, é colocado antes do verbo, mas o sentido é qualitativo. Na tradução desses casos um adjetivo pode ser usado para expressar o sentido qualitativo do substantivo grego.. Ex. “πῶς δύναται ἄνθρωπος γεννηθῆναι ___γέρων ὤν” Jo.3.4 (Como um homem pode nascer sendo velho – sentido de idoso). Veja também: “τὸ γεγεννημένον ἐκ τῆς σαρκὸς ____σάρξ ἐστι” Jo.3.6 (quem nasceu da carne é carnal). (cf. Jo.6.63). Esse é o uso padrão e comum em João e no NT (1.12; 14; 2.9; 3.4, 6 x2, 29; 4.19; 6.33 x2, 70; 8.31, 33, 34, 37, 39, 44 x2, 48; 9.8, 17, 24, 25, 27, 28, 10.1, 2, 8, 13, 33, 34, 36; 11.51; 12.6, 29, 26, 50; 13.35; 15.14; 18.25, 35 x2, 37 x2).

  • Indefinida: Nesse tipo de construção o sujeito pode ou não ter artigo, mas o predicativo não tem e é colocado antes do verbo, mas o sentido é indefinido. Na tradução deve-se colocar um artigo indefinido antes do substantivo. Ex. “Κύριε, θεωρῶ ὅτι ___προφήτης εἶ σύ” (Senhor, vejo que és um profeta). Esse é o único caso, sob discussão se o sentido não é correlato ou até mesmo qualitativo, em toda a obra literária de João no Novo Testamento. Esse uso é incomum e quase ausente em João e raro no NT.

3. CONSTRUÇÃO ANARTRA E PÓS VERBAL: (Predicativo do sujeito sem artigo no original). Nesse tipo de construção o sentido é claramente indefinido sempre indefinido. Ex. “Ἦν δὲ ___ἄνθρωπος ἐκ τῶν Φαρισαίων ” (Jo.3.1 – Havia um homem entre os fariseus). Uso comum em João e no NT (Mc.3.17; 6.34, 44; Jo.11.38).

É importante dizer que a construção grega de João 1.1 não é nem a primeira nem a terceira, mas a segunda. Ou seja, é possível que o sentido da expressão fosse tanto definido, quanto correlato, qualitativo e indefinido. Contudo, mais uma observação deve ser feita aqui: A tradução indefinida é antagônica às outras três. Não é possível que um ser criado (indefinida) seja da mesma natureza (qualitativa) que seu Criador ou Deus (correlata ou definido). Segundo as escrituras, nada na criação tem mesma natureza ou essência do Criador, tudo é criado distinto do Criador. Ou seja, se Jesus é criado como um outro deus e lhe é inferior não pode ter a mesma natureza de Deus ou ser Ele mesmo Deus.

Tendo considerado a gramática do texto, podemos dizer que a tradução indefinida é correta?

A resposta a essa pergunta é: Certamente não! Nesse tipo de construção grega o sentido indefinido é sempre o mais improvável. Isso acontece pelo fato já demonstrado acima: O grego koinê tinha um modo específico para usar o sentido indefinido de um substantivo, colocando-o após o verbo de ligação e sem artigo. Ou seja, se a intenção de João fosse deixar, sem sombra de dúvidas que a Palavra era [um] deus, ele teria colocado depois do verbo o substantivo sem artigo. Como ele não fez isso, temos por certo que esse não é o sentido auferido por ele. Então, o que quis dizer João?

Considerando que o sentido usual auferido por João com esse tipo de construção é o qualitativo, devemos considerá-lo proeminente aqui. Temos por certo que o sentido não é DEFINIDO, pela clara ausência de artigo acompanhando o termo “Deus”. Temos por certo que o sentido não é INDEFINIDO, por que sabemos que João não usa esse tipo de construção grega para o sentido indefinido, salvo apenas uma possibilidade. Diante disso, ou entendemos como CORRELATO ou QUALITATIVO.

Na verdade, a tradução correlata poderia ser considerado um modo possível de tradução, mas não necessária. Diante disso, devemos entender qual seria as implicações de se entender o termo qualitativamente.

Em primeiro lugar, teríamos que assumir que Cristo é Divino e não o Deus com quem estava. Ou seja, ele não é a mesmíssima pessoa que Jeová, mas é divino. Devemos ter cuidado com o entendimento que temos do termo “divino”, visto que em nossos dias o termo está desgastado. Com esse termo não estamos dizendo que Jesus é divino no sentido de especial, ou de participação na divindade, pois se João intencionasse dizer isso, ele teria usado o adjetivo grego “Θειὸς”, mas não o fez. Ao usar o substantivo Deus sem artigo João estava dizendo que Jesus é tão Deus quanto Deus: Ele é Divino como Deus o é.

Em segundo lugar, temos que assumir que se Jesus não é a mesma pessoa que Jeová, mas é tão divino quanto, Ele não pode ser um outro ser à parte de Deus, pois existe apenas um só Deus. Ou seja, Jesus e Jeová são essencialmente um, como o próprio Jesus ensina. Não são a mesma pessoa, mas são essencialmente divinos.

Essa conclusão parece colocar o sentido do texto de fato no lugar em que deve estar: Jesus Cristo é Deus, tal qual Deus, sem ser a mesma pessoa que Jeová. Esse é o ensino desse texto, e como esse texto está nas escrituras, esse é o ensino das Escrituras sobre Cristo.

Portanto, João 1.1 é sim uma questão de gramática, mas não apenas de gramática: Gramática e Interpretação – Uma parceria necessária de ser resgatada.

Fonte: http://testemunhadecristo.wordpress.com/2010/11/18/joao-1-1-gramatica-ou-interpretacao/

Ler 4834 vezes
Avalie este item
(1 Votar)

Comentários   

0 #3 Betho 19-07-2017 19:58
A ênfase no verbo ἦν e não precisamente em θεὸς, levou-me a repensar os versos de João 1:1-3, considerando os significados que este verbo alcançou na Septuaginta e em outras passagens do evangelho joaneu, assim, o resultado não contraria a doutrina da Unidade no Novo testamento. Paz.
Citar
0 #2 Betho 04-05-2017 16:23
1a- A construção Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος – João 1:1a está explanada em 1 João 1:1-3:

“O que era desde um princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com nossos olhos, o que temos contemplado e palparam nossas mãos acerca do Logos da Vida, (porque a Vida foi manifestada, e a temos visto, e damos testemunho, e vos anunciamos a Vida Eterna, a qual estava ante o Pai, e nos foi manifestada). O que temos visto e ouvido vo-lo anunciamos, para que também vós tenhais comunhão conosco e nossa comunhão verdadeiramente é com o Pai e com o filho Dele, Jesus, o Messias.” Versão BTX

O que é o Logos?

O principio do Logos é a Verdade. Salmos 118(119 HEB).60,
O Logos é Verdadeiro. 2 Timóteo 2:15
O Logos Verdadeiro é o Evangelho. Efésios 1:13,
O Logos se fez carne. João 1:14,
O Logos de Deus é a Verdade. João 17:17,
O Logos Verdadeiro é meio de geração. Tiago 1:18
O Logos de Deus está dentro dos gerados. 1 João 2:14,
O Logos de Deus é a Semente de Deus. Lucas 8:11,

1b- A oração “…ὁ λόγος ἦν πρὸς τὸν θεόν…” de João 1:1b não é uma construção sintática usual na língua grega coiné, ocorrendo em 1 Corinthians 12:2: “… ἔθνη ἦτε πρὸς τὰ εἴδωλα…” onde se lê: “nações>gentios>pagãos éreis para os ídolos…”, na qual ver-se-á uma tentativa de comunhão espiritual. Outra construção semelhante está em 1 João 1:2 “…ἥτις ἦν πρὸς τὸν πατέρα…” onde se lê “…a qual (Vida Eterna) era para o Pai…”, sendo pertinente ao presente argumento a relação existente entre a Vida Eterna e o Pai, amplamente descrita no Novo Testamento, em especial nos escritos joaninos, caracterizando e definindo o significado usual da preposição “πρὸς”. O artigo definido “τὸν”, objeto da preposição “πρὸς”, define, referencia e limita a afirmação do objeto “θεόν” a יהוה.

1c – A oração “…θεὸς ἦν ὁ λόγος…” João. 1:1c é uma construção nominativa predicativa (ambos os substantivos principais na sentença estão no caso nominativo e são acompanhados pelo verbo copulativo (de ligação) padrão, o qual está no Indicativo Imperfeito. Esta construção sintática ocorre em Genesis 9:18; 24:16, 29; 28:19; Juízes 11:18; 2 Samuel 9:2; 20:26; 1 Reis 2:46; 1 Ester 2:9, 17; Jó 29:15; 32:1; Jonas 3:3; Zacarias 6:1; Malaquias. 1:2; Isaias 37:19; Ezequiel. 23:2; Mateus 3:4; 21:33; Marcos. 7:26; João 1:1, 4; Atos 27:8, onde a parte da cláusula que é o objeto do verbo, fica sem o artigo, excluindo os versos joaninos.

θεὸς está caracterizado em João 1:1c como um Nome (Quem é), Natureza (O que é) ou Ofício (Por quem é)?

Daniel B. Wallace em a Gramática Grega: Uma Sintaxe Exegética do Novo Testamento Daniel B. Wallace, da Editora Batista Regular do Brasil, Primeira edição em português: 2009 (Excelente, digno de compra), nas páginas 255-270, precisamente na pagina 266 e 269, no item “c”, explica que o uso de “θεὸς” anartro, i.e., sem artigo em João 1:1c (como, por exemplo, em João 4:19; 6:70; 8:44; 9:17; 10:1,13,33 e 12:6) , seja POSSÍVELMENTE usado como um substantivo qualitativo ( Que refere-se a qualidade sobre alguém) e concordo com ele neste aspecto, porém, conceituo usando uma terminologia diferente da dele:

A ideia de um “θεóς” qualitativo aqui é, segundo o meu entendimento, a ideia de que o Logos tinha todos os atributos e qualidade que o termo “Deus” tem em João 1:1b. Ou seja, partilhava da substância de יהוה, embora ele, o Logos, fez-se uma hipóstase (pessoa), reforçado pelo vocativo.

a) O contexto de João 1:1-2 informa, enfaticamente, usando a duplicidade que o Logos estava com Deus, isto é, o Logos não foi “…τὸν θεόν….” da construção 1.b com quem estava em um princípio, portanto, o autor do Evangelho de João não usa “θεὸς” da construção 1.c da mesma forma que usou “…τὸν θεόν….” da construção 1.b

b) Jesus ensina que a Lei nomeou deuses, em grego “θεοί” (plural de “θεός”), a quem o Logos foi dirigido. Salmos 81:6 Septuaginta 82:6 HEB, João 10: 34-35), e que estes “deuses” morreriam e cairiam como qualquer mortal, portanto, “θεοί” nem sempre significa a Hipóstase de יהוה,

c) Outros seres criados foram por ofício (missão) “θεός” ou equivalente אלהים como em Êxodos 7.1 (Septuaginta), Êxodos 21:6 22:8-9, Salmos 81:6 (82-6 HEB) e Zacarias 12:8 HEB.

d) O padrão da construção sintática é “…Substantivo nominativo ἦν Substantivo nominativo…” e ocorre em Gênesis 9:18; 24:16,29;28:19; Juízes 11:18; 2 Samuel 9:2;20:26; 1 Reis 2:46; 1 Ester 2:9, 17; Jó 32:1; Jonas 3:3; Zacarias 6:1; Malaquias 1:2; Mateus 3:4; 21:33, Marcos 7:26; e Atos 27:8 e a construção com artigo após o verbo “…Substantivo nominativo ἦν ὁ Substantivo nominativo…” somente ocorre em João 1:1 e 1:4. O que isto significa? O artigo em Grego serve para conceitualizar, transformar em uma entidade, em termos de função, ele identifica a identidade de um ser, classe ou qualidade, um bom exemplo está em Lucas 12:58, onde “o Juiz” refere-se a uma pessoa humana, quanto ao juízo divino. Assim, o acréscimo de artigo, em João 1:1c, fugindo da familiaridade sintática é no sentido de não deixar dúvidas que o Logos é sujeito da oração, tendo toda a ênfase em vez de “θεὸς”.

e) Uma análise de Zacarias 6:1

καὶ ἐπέστρεψα καὶ ἦρα τοὺς ὀφθαλμούς μου καὶ εἶδον καὶ ἰδοὺ τέσσαρα ἅρματα ἐκπορευόμενα ἐκ μέσου δύο ὀρέων καὶ τὰ ὄρη ἦν ὄρη χαλκᾶ Zacarias 6:1 – Septuaginta (Greek Edition): Alfred Rahlfs, Robert Hanhart.

וָאָשֻׁ֗ב וָאֶשָּׂ֤א עֵינַי֙ וָֽאֶרְאֶ֔ה וְהִנֵּ֙ה אַרְבַּ֤ע מַרְכָּבוֹת֙ יֹֽצְא֔וֹת מִבֵּ֖ין שְׁנֵ֣י הֶֽהָרִ֑ים וְהֶהָרִ֖ים הָרֵ֥י נְחֹֽשֶׁת׃
Zacarias 6:1 – Biblia Hebraica Stuttgartensia (Hebrew Bible, Masoretic Text or Hebrew Old Testament), edited by K. Elliger and W. Rudolph of the Deutsche Bibelgesellschaft, Stuttgart, Fourth Corrected Edition.

E voltei e levantei meus olhos e vi, e eis que quatro carros saíam do meio de dois montes, e os montes eram montes bronzeados. Bíblia de Jünemann – Zacarias 6:1

É notório que na construção “…δύο ὀρέων καὶ τὰ ὄρη ἦν ὄρη χαλκᾶ” o substantivo “ὄρη” anartro, i.e., sem artigo, como “θεὸς” em João 1:1c, está caracterizando, apoiado por um adjetivo, o sujeito “τὰ ὄρη”, seguindo esta argumentação, “θεὸς” qualifica “ὁ λόγος” (o Logos).

A construção sintática hebraica em particular, além de Zacarias 6:1, ocorre em Gênesis 27:22, onde melhor tradução “… porém as mãos são as mãos de Esaú.”, Gênesis 31:43 “estas filhas são minhas filhas”; Exôdus 32:16 “a escritura é a mesma escritura”, 1 Samuel 1:24 “o menino muito menino”, 2 Crônicas 3:6 “ouro, de ouro de Parvaim” e Ezequiel 41:6 “as laterais (câmaras) da lateral.

f) Uma análise de Êxodos 20:21:

εἱστήκει δὲ ὁ λαὸς μακρόθεν Μωυσῆς δὲ εἰσῆλθεν εἰς τὸν γνόφον οὗ ἦν ὁ θεός Êxodos 20:21 Septuaginta (Greek Edition): Alfred Rahlfs, Robert Hanhart.

וַיַּעֲמֹ֥ד הָעָ֖ם מֵרָחֹ֑ק וּמֹשֶׁה֙ נִגַּ֣שׁ אֶל־הָֽעֲרָפֶ֔ל אֲשֶׁר־שָׁ֖ם הָאֱלֹהִֽים׃ פ
Êxodos 20:21 -Biblia Hebraica Stuttgartensia (Hebrew Bible, Masoretic Text or Hebrew Old Testament), edited by K. Elliger and W. Rudolph of the Deutsche Bibelgesellschaft, Stuttgart, Fourth Corrected Edition.

O povo estava de longe, em pé; Moisés, porém, se chegou à nuvem escura onde Deus estava. Versão ARA Êxodos 20:21

O interlinear da Construção “…εἰς τὸν γνόφον οὗ ἦν ὁ θεός…” é εἰς τὸν γνόφον (para dentro da nuvem espessa) οὗ (onde quando) ἦν ὁ θεός (estava o Deus). Sobre a presença de Deus na Nuvem densa:

Então, disse Salomão: O SENHOR declarou que habitaria em trevas espessas.¹ Na verdade, edifiquei uma casa para tua morada, lugar para a tua eterna habitação. (1 Reis 8:12 ARA) ¹ (אֶל־הָֽעֲרָפֶ֔ל, Gênesis 2:11, Exôdos 9:26, Números 21:32, 1 Samuel 3:3, 1 Samuel 9:10)

E, dizendo ele isto, veio uma nuvem que os cobriu com a sua sombra; e, entrando eles na nuvem, temeram. E saiu da nuvem uma voz que dizia: Este é o meu amado Filho; a ele ouvi. Lucas 9:34,35.

O verbo ἦν no contexto de Êxodos 20:21 é explicado por 1 Reis 8:12, adquirindo um avanço de significado linguístico do “ser” para o “habitar”, o que está novamente em concordância com a Teologia Neo-Testamentária a respeito do Logos e com a Teologia Patrística referente ao cristianismo recente:

Ou seja, que Deus estava dentro do Ungido, reconciliando consigo o mundo, não lançando em conta os pecados dos homens, e nos confiou o Logos da Reconciliação. 2 Coríntios 5:19

Destarte, a tradução de João 1:1-3, leio:

“O Logos habitava no início, e o Logos habitava com Deus e Deus habitava o Logos.
Ele habitava no início com Deus.
Todos os renascidos foram feitos por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.”

Referências: João 1:12,13; 3:3,6,7, 1 João 2:29; 3:9; 4:7; 5:1,2,3,4,18; 2 Coríntios 5:17; Tito 3:5; 1 Pedro 1:3.

Paz
Citar
0 #1 Clovis Filho 21-08-2015 23:00
O que é que os críticos têm a dizer a respeito da New World Translation of the Holy Scriptures [Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas] ?
· Edmund C. Gruss, Professor de História e Apologética no Los Angeles Baptist College, critica cinco aspectos principais da tradução:
(i) O uso de paráfrases, em contradição com o propósito anunciado dos tradutores;
(ii) A inserção injustificada de palavras que não se encontram no Grego.
(iii) Tradução errada de palavras Gregas.
(iv) Notas de fim de página e apêndice enganadores.
(v) Uso e abuso de maiúsculas ao tratar do nome divino. (Para detalhes acerca das críticas, veja a nota.)
Gruss conclui que a New World Translation Of The Christian Greek Scriptures [Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs], “embora à primeira vista pareça um trabalho de peritos, em muitos aspectos é exatamente o contrário. A intenção é trazer os erros das Testemunhas para a Palavra de Deus. Esta tradução não tem nenhuma autoridade, exceto para os que a fizeram e para os seus fiéis seguidores, e deve ser rejeitada como uma perversão da Palavra de Deus.”
· Ray C. Stedman, autor internacionalmente conhecido, docente da Bíblia, pastor, evangelista.
“Um exame detido, que vá além da aparência superficial de exegese, revela uma verdadeira trapalhada de fanatismo, preconceito e predisposição tendenciosa que viola todas as regras de criticismo bíblico e todos os padrões de integridade académica.”
· Anthony Hoekema:
“A New World Translation [Tradução do Novo Mundo] da Bíblia não é de modo nenhum uma tradução objetiva do texto sagrado para Inglês moderno, mas é em vez disso uma tradução tendenciosa na qual muitos dos ensinos peculiares da Watchtower Society são introduzidos sorrateiramente no texto da própria Bíblia.”
O Dr. Hoekma foi Professor of Systematic Theology, Calvin Theological Seminary, Grand Rapids, E.U.A., e autor de um dos mais respeitados trabalhos de referência acerca das Testemunhas de Jeová.
· H. H. Rowley, um eminente perito Inglês do Velho Testamento, escreveu a respeito do primeiro volume da New World Translation of the Hebrew Scriptures [Tradução do Novo Mundo das Escrituras Hebraicas]. Os comentários dele devem ser contrastados com os do Dr. Goodspeed, citados atrás:
“A tradução é marcada por um literalismo empedernido que só vai exasperar qualquer leitor inteligente – se é que algum dos seus leitores é inteligente – e em vez de mostrar a reverência que os tradutores dizem ter pela Bíblia, é um insulto à palavra de Deus… este volume é um exemplo brilhante de como a Bíblia não deve ser traduzida.”
Os comentários acima são apenas uma amostra dos muitos que têm sido feitos ao longo dos anos. Existem muitos outros criticando pontos específicos da tradução e especialmente a frase “…e a palavra era um deus” que aparece em João 1:1 na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs. Vejamos agora mais alguns comentários de peritos em relação ao prólogo de João.
O que dizem os conhecedores de Grego sobre João 1:1 na TNM?
A Bíblia usada pelas Testemunhas de Jeová é a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas. Mas por que a STV teve de publicar uma Bíblia própria? Isso se deve ao fato de que o texto original não suporta as doutrinas da seita, a qual mudou a tradução dos versículos a fim de fundamentar suas heresias. Veja o seguinte exemplo:
Tradução do Novo Mundo – TNM (Testemunhas de Jeová)
“No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com o Deus, e a Palavra era [um deus].”
João Ferreira de Almeida – (Evangélica)
“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.”
Monges de Marednous – (Católica)
“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus.”
Mas qual a opinião dos conhecedores de Grego sobre a tradução de João 1:1 para “a Palavra era [um] deus” na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas?:
· Dr. J. R. Mantey (o qual é citado nas paginas 1158-1159 da Kingdom interlinear Translation das próprias Testemunhas) “Uma chocante falha de tradução” “Obsoleta e incorreta.” “Nenhuma pessoa com conhecimentos razoáveis iria traduzir João 1:1 para “O Verbo era um deus”
· Dr. Bruce M. Metzger of Princeton (Professor de linguagem do Novo Testamento e Literatura): “Um espantoso erro de tradução.” “Errôneo” e “pernicioso” “criticavel” ” Se as Testemunhas de Jeová levam essa tradução a sério, elas são politeístas.”
· Dr. Samuel J. Mikolaski of Zurich, Switzerland: “É monstruoso traduzir a frase para ´o Verbo era um deus.'”
· Dr. Paul L. Kaufman, de Portland, Oregon: “Com seu erro de tradução em João 1:1, as Testemunhas de Jeová demonstram um abismal desconhecimento das regras básicas da gramática grega.”
· Dr. Charles L. Feinberg, de La Mirada, California: “eu posso assegurar a vocês que a interpretação a qual as Testemunhas de Jeová dão em João 1:1 não é aceita por nenhum honrado conhecedor de Grego.”
· Dr. James L. Boyer, de Winona Lake, Indiana: “Eu nunca ouvi, ou li sobre qualquer estudioso de Grego que tenha aceito a interpretação insistentemente defendida pelas Testemunhas de Jeová” … “nunca encontrei uma delas que tenha qualquer conhecimento da linguagem grega.”
· Dr. Walter R. Martin (não é professor de Grego, mas estudou a lingua): “A tradução …’um deus’ em lugar de ‘Deus’ é errônea e não é apoiada por qualquer conhecimento de Grego, antigo ou contemporâneo e é uma tradução rejeitada por todos conhecedores reconhecidos de Grego, muitos dos quais não são cristãos, e assim não defendem tal posição em favor de um ou outro.”
· Dr. William Barclay of the University of Glasgow, Scotland: “A deliberada distorção da verdade por esta seita é observada na sua tradução do Novo Testamento. João 1:1 é traduzido: …’o Verbo era um deus’, a qual é uma tradução gramaticalmente impossível. É altamente claro que uma seita que traduz o Novo Testamento assim, é intelectualmente desonesta.”
· Dr. Ernest C. Colwell da Universidade de Chicago: “O predicado definido nominativo tem artigo quando ele segue o verbo; e não tem o artigo quando ele precede o verbo … esta declaração não pode ser considerada como estranha no prólogo do evangelho, o qual atinge seu clímax com a confissão de Tomé: ‘Senhor meu e Deus meu’ – João 20:28″
· Dr. J. Johnson da Universidade do Estado da California, Long Beach: “Não há qualquer justificação para traduzir THEOS EN HO LOGOS para ‘o Verbo era um deus’. Não há um paralelo sintático com Atos 28:6, onde há uma declaração em discurso indireto, e João 1:1 é direto … Eu não sou cristão, muito menos trinitariano”
· Dr. Eugene A. Nida, chefe do Departamento de Traduções, American Bible Society: “Com respeito a João 1:1, há é claro uma absoluta confusão por que a Tradução do Novo Mundo foi aparentemente feita por pessoas que não levam a sério a sintaxe do Grego”
· Dr. B. F. Wescott (cujo texto Grego – Não a parte em Inglês – é usado na Kingdom Interlinear Translation): “O predicado (Deus) estando enfaticamente primeiro, como em IV.24. É necessariamente sem o artigo. Não há idéia de inferioridade de natureza sugestionada pela expressão, a qual simplesmente afirma a verdadeira deidade do Verbo” Robert M. McCoy O Sr. McCoy, à data da escrita da sua recensão crítica, era graduado pelo Andover Newton Seminary (associado com a Baptist Church [Igreja Baptista] e United Churches of Christ [Igrejas Unidas de Cristo]) sendo possuidor dos graus de Bachelor of Divinity (1955) pela Boston University School of Theology e Master of Sacred Theology pela Andover Newton.
Ele critica vários pontos na tradução:
a) Ao discutir a tradução de Mateus 5:9, ele diz, “Poder-se-ía questionar porque é que os tradutores não seguiram mais de perto o significado original, como fazem a maioria dos tradutores.” (ênfase acrescentada)
b) A respeito da alegação dos tradutores de terem evitado “a influência enganadora de tradições religiosas que têm as suas origens no paganismo,” ou seja, procuraram evitar preconceitos doutrinais que acham serem evidentes noutras traduções, McCoy escreve, “Não são poucas as passagens da New World Translation [Tradução do Novo Mundo] que têm de ser consideradas ‘traduções teológicas.’ Este facto é especialmente evidente naquelas passagens que expressam ou deixam implícita a divindade de Cristo.” Como exemplo, ele menciona a tradução “I have been” [“Tenho sido”] em João 8:58, indicando que “do ponto de vista gramatical, não existe justificação para a tradução” e ele também mostra que o contexto desautoriza a visão “anti-divindade” [de Cristo] que essa tradução introduz.
. De fato, a quantidade de opiniões de peritos contra a New World Translation [Tradução do Novo Mundo] parece ultrapassar em muito as que a apoiam.
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Itens relacionados (por marcador)

  • Discutindo a intercessão dos santos

    Por muitos anos católicos e protestantes têm debatido sobre a intercessão dos santos. Ambos possuem o mesma definição de intercessão? Se não, onde há a divergência?

  • Maria, "cheia de graça"?

    O texto aqui apresenta uma análise da argumentação católica sobre a correta tradução de Lucas 1:28, mais especificamente o termo que o anjo usa para se referir a Maria. Seria a melhor tradução para este termo a expressão "cheia de graça", ou o particípio "agraciada"? Por que teria Jerônimo traduzido este termo pela primeira opção?

  • Elias e a reencarnação

    Sempre que se discute se a Bíblia dá suporte ao espiritismo ou não, é comum que as palavras de Jesus sobre João Batista ser Elias sejam citadas. Isto acontece por que a doutrina da reencarnação, ou princípio da pluralidade das existências como eles a definem, é uma das suas doutrinas mais fundamentais.

Últimos artigos

Assuntos principais

Últimos comentários