• Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos.

    Mateus 5:44,45

  • Disse-lhes ele: Por causa da vossa pouca fé; pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele há de passar; e nada vos será impossível

    .

    Mateus 17:20

  • Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, e não vai após a perdida até que a encontre?

    Lucas 15:4

  • Então ele te dará chuva para a tua semente, com que semeares a terra, e trigo como produto da terra, o qual será pingue e abundante. Naquele dia o teu gado pastará em largos pastos.

    Isaías 30:23

  • As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem;

    João 10:27

prev next

Bem vindos!!

Sejam bem-vindos ao novo site e-cristianismo!! Nosso site foi recentemente invadido, então estamos trabalhando para recuperar o conteúdo. Esperamos terminar esta tarefa em breve.

Verso do dia

Cipriano de Cartago - Da unidade da igreja

Escrito por  Cipriano de Cartago
Unidade

Da unidade da Igreja3097

Argumento – Na ocasião do cisma de Novaciano, para manter os cartaginenses de seu lado, que já não eram aversos a ele, em relação a Novato e alguns outros presbíteros de sua igreja, que criaram todo o distúrbio, Cipriano escreveu este tratado. E antes de tudo, fortificando-os contra as fraudes destes, ele exorta-os à constância, e os instrui que heresias existem porque Cristo, o Cabeça da Igreja, não é observado, que a Comissão Comum primeiro confiada a Pedro é desprezada, e que a Única Igreja e Único Episcopado é abandonado. Então ele prova, tanto pelas Escrituras quanto pelas figuras do Velho e Novo Testamento, a Unidade da Igreja3098 .

1. Já que o Senhor nos avisa, dizendo, “Vós sois o sal da terra”3099 , e já que ele nos ordena a sermos simples para a pureza, e ainda com nossa simplicidade sermos prudentes, o que mais, amados irmãos, nos é mais adequado do que usar perspicácia e vigiar com um coração inquieto, tanto para perceber quanto para se acautelar dos engôdos do astuto inimigo, para que nós, que temos nos revestido de Cristo, a Sabedoria de Deus o Pai, não pareçamos estar desprovidos de sabedoria em matéria do cuidado de nossa salvação? Pois não é somente a perseguição que deve ser temida, nem aquelas coisas que avançam em ataque aberto para subjugar e desencorajar os servos de Deus. A atenção é mais natural onde o perigo se manifesta, e a mente se prepara de antemão para a disputa quando o adversário se declara. O inimigo deve ser mais temido e mais prevenido quando ele se rasteja secretamente até nós, quando, enganando com uma aparência de paz, ele rouba o que estiver à sua frente com abordagens secretas, de onde também ele tem recebido o nome da Serpente3100 . Esta é sempre sua sutileza, este é seu negro e furtivo artifício para lograr o homem. Assim bem do princípio do mundo ele enganou, e bajulando com palavras mentirosas, ele iludiu almas inexperientes com uma credulidade precipitada. Assim ele se esforçou em tentar o próprio Senhor: ele secretamente se aproximou dele, como se ele pudesse rastejar novamente até ele e enganar, mas ele foi percebido, e rebatido, e então abatido, porque foi reconhecido e detectado.

2. De onde um exemplo nos é dado para evitarmos os caminhos do velho homem, para ficarmos nos passos de um Cristo conquistador3101 , para nós não sermos precipitadamente levados de volta para as teias da morte, mas, prevendo nosso perigo, possamos possuir a imortalidade que nós temos recebido. Mas como poderíamos possuir imortalidade, a menos que nós mantenhamos aqueles mandamentos de Cristo, segundo os quais a morte é expulsa e vencida, quando Ele próprio nos avisa dizendo, “Se vós desejais entrar na vida, mantenhais os mandamentos”3102 ? E novamente: “Se fizerdes as coisas que eu vos ordeno, de agora em diante eu não vos chamo de servos, mas amigos.”3103 Finalmente, sobre estas pessoas que Ele chama fortes e firmes, Ele declara serem fundados em robusta segurança na rocha, estabelecidos com imovível e inabalável firmeza, em oposição à todas as tempestades e furacões do mundo. “Aquele que”, diz Ele, “escuta minhas palavras e as pratica, eu o comparo a um homem sábio, que constrói sua casa em uma rocha: a chuva cai, enchentes vêm, os ventos sopram e batem naquela casa, e ela não cai, pois foi fundada em uma rocha.”3104 Nós devemos então ficar firmes em Suas palavras, aprender e fazer o que for que Ele ensinou e fez. Mas como pode um homem dizer que ele crê em Cristo, sendo que ele não faz o que Cristo o ordenou fazer? Ou de onde deve conquistar a recompensa da fé, aquele que não mantém a fé do mandamento? Ele deve necessariamente vacilar e perambular, e, pego por um espírito de erro, assim como a poeira se move com o vento, ser varrido, e ele não fará nenhum avanço em sua caminhada para a salvação, porque ele não mantém a verdade do caminho da salvação.

3. Mas, amados irmãos, não somente devemos nós nos acautelarmos do que é aberto e manifesto, mas também do que engana pela trapaça da fraude sutil. E o que pode ser mais trapaceiro, ou mais sutil, que este inimigo, detectado e derrubado pelo advento de Cristo? Depois da luz chegar às nações, e os raios salvíficos brilharem para a preservação dos homens, para que os surdos pudessem receber a audição da graça espiritual, para que os cegos pudessem abrir seus olhos para Deus, para que os fracos pudessem crescer fortes novamente com saúde eterna, para que os coxos pudessem correr para a igreja, para que os mudos pudessem orar com claras vozes e orações, vendo seus ídolos amaldiçoados, e suas vias e seus templos abandonados pela numerosa multidão de crentes, inventou uma nova fraude, e sob o próprio título do nome cristão engana os incautos. Ele inventou heresias e cismas, a partir dos quais ele pudesse subverter a fé, pudesse corromper a verdade, pudesse dividir a unidade.3105 Aqueles que ele não pode manter na escuridão dos velhos caminhos, ele ilude e engana pelo erro de um novo caminho. Ele agarra homens da própria Igreja, e enquanto eles parecem a si mesmos terem já se aproximado da luz, e terem escapado da noite do mundo, ele derrama sobre eles novamente, na falta de consciência deles, nova escuridão. Assim que, apesar deles não se firmarem com o Evangelho de Cristo e com a observância da lei de Cristo, eles ainda se consideram cristãos, e, caminhando na escuridão, eles pensam que eles possuem a luz, enquanto o adversário está bajulando e enganando. Aquele adversário que, de acordo com a palavra do apóstolo, se transforma em anjo de luz, e equipa seus ministros como se fossem ministros da justiça, que mantém a noite ao invés do dia, morte ao invés de salvação, desespero sob a oferta de esperança, perfídia sob o pretexto de fé, anticristo sob o nome de Cristo. Assim que, enquanto eles imitam coisas como a verdade, eles anulam a verdade por suas sutilezas. Isto acontece, amados irmãos, enquanto não retornarmos à fonte da verdade, à medida que nós não buscamos a cabeça ou o ensino do Mestre celestial.

4. Se alguém considerar e examinar estas coisas, não haverá necessidade de discussões e argumentos prolongados. Há prova fácil para a fé em um resumo pequeno da verdade. O Senhor fala a Pedro3106 , dizendo, “Eu te digo, que tu és Pedro, e sobre esta pedra eu construirei minha Igreja, e os portões do inferno não prevalecerão contra ela. E eu te darei as chaves do reino dos céus, e tudo o que tu ligares na terra será ligado também no céu, e tudo que tu desligares na terra será desligado no céu”3107 . E novamente ao mesmo Ele diz, depois de Sua ressurreição, “Apascenta minhas ovelhas”3108 . E contudo a todos os apóstolos, depois de Sua ressurreição, Ele dá poder igual dizendo, “Como o Pai me enviou, assim eu vos envio: Recebais o Espírito Santo. Aqueles cujos pecados vós remis, eles lhe serão remidos, e aqueles cujos pecados vós retiverdes, eles serão retidos”3109 . Mas, para que Ele pudesse estabelecer a unidade, Ele dispôs por Sua autoridade a origem daquela unidade, ao iniciar de um. Sem dúvida o resto dos apóstolos foram também o mesmo que era Pedro, favorecidos com uma igual parceria tanto de honra quanto poder, mas o princípio procede da unidade3110 . Aquela Igreja una também, o Espírito Santo no Cântico dos cânticos designou na pessoa de nosso Senhor dizendo, “Minha pomba, minha imaculada, é somente uma. Ela é a única de sua mãe, eleita da que a deu a luz”3111 . Aquele que não mantém esta unidade da Igreja pensa que mantém a fé? Aquele que se esforça contra e resiste a Igreja3112 confia que ele está na Igreja, quando além disto o bendito apóstolo Paulo ensina a mesma coisa, e estabelece o sacramento da unidade, dizendo, “Há um só corpo e um espírito, uma esperança de vosso chamado, um Senhor, uma fé, um batismo, um Deus?”3113

5. E esta unidade nós devemos firmemente manter e declarar, especialmente aqueles de nós que somos bispos que presidem na Igreja, para que nós também possamos provar que o próprio episcopado é um e indiviso3114 . Que ninguém engane a irmandade com uma falsidade, que ninguém corrompa a verdade da fé com prevaricações perfidiosas. O episcopado é uno, cada parte do qual é mantido por cada um para o todo3115 . A igreja também é uma, que está largamente espalhada em uma multidão com um crescimento frutífero. Como há vários raios de sol, mas uma luz, e muitos galhos de uma árvore, mas uma força baseada em sua raiz tenaz, e desde que de uma fonte flui vários riachos, apesar da multiplicidade parecer difusa na generosidade de uma abundância transbordante, contudo ainda a unidade é preservada na fonte. Separe um raio de sol de seu corpo de luz, sua unidade não permite uma divisão de luz. Quebre um galho de uma árvore, e quando quebrado, ele não será capaz de florescer. Corte o riacho de sua fonte, e aquele que for cortado irá secar. Assim também a Igreja, brilhando com a luz do Senhor, lança seus raios sobre todo o mundo, mas é uma luz que é difundida em todo lugar, a unidade do corpo não é separada. Sua abundância frutífera espalha seus galhos por todo o mundo. Ela expande amplamente seus riachos, generosamente fluindo, mas sua cabeça é uma, sua fonte uma. E ela é uma mãe cheia de fertilidade: de seu útero nós nascemos, por seu leite somos alimentados, por seu espírito somos animados.

6. A esposa de Cristo não pode ser adúltera, ela é incorruptível e pura. Ela conhece um lar, ela guarda com casta modéstia a santidade de seu leito. Ela nos mantém para Deus. Ela aponta os filhos que ela gerou para o reino. Aquele que está separado da Igreja e está unido a uma adúltera, é separado das promessas da Igreja. Não pode aquele que amaldiçoa a Igreja de Cristo conquistar as recompensas de Cristo. Ele é um estranho, ele é profano, ele é um inimigo. Não pode mais ter Deus como seu Pai, aquele que não tem a Igreja como sua mãe. Se algum daqueles que estavam de fora da arca de Noé pudesse escapar, então poderiam também escapar aqueles que estão fora da Igreja. O Senhor avisa, dizendo, “Aquele que não está comigo está contra mim, e aquele que não se ajunta comigo se espalha”3116 . Aquele que quebra a paz e a concordância de Cristo, o faz em oposição a Cristo; aquele que se ajunta em qualquer outro lugar que não a Igreja, espalha a Igreja de Cristo. O Senhor diz, “Eu e o Pai somos um”3117 ; e novamente está escrito do Pai e do Filho e do Espírito Santo, “E estes três são um”3118 . Alguém acredita que esta unidade que assim vem da força divina e é coerente nos sacramentos celestiais, pode ser dividida na Igreja, e pode ser separada pelas divisões de vontades opostas? Aquele que não mantém esta unidade não mantém a lei de Deus, não mantém a fé do Pai e do Filho, não mantém vida e salvação.

7. Este sacramento da unidade, esta ligação de uma concordância inseparavelmente coerente, é estabelecida onde no Evangelho a túnica do Senhor Jesus Cristo é nem ao todo dividida nem cortada, mas é recebida como um traje completo, e é possuída como uma túnica não estragada e não dividida por aqueles que tiram a sorte a respeito da túnica de Cristo, que deveria ser ao contrário, colocada em Cristo3119 . As Escrituras Sagradas dizem, “Mas da túnica, por não ser costurada, mas tecida de alto a baixo, eles disseram uns para os outros, não a rasguemos, mas tiremos sorte para saber de quem ela será”3120 . Aquela túnica sustentava consigo uma unidade que vinha de cima, ou seja, que vinha do céu e do Pai, e que não poderia ser rasgada pelo que a recebia ou a possuía, mas sem separação nós obtemos uma completa e substancial integridade. Não pode possuir as vestes de Cristo aquele que parte e divide a Igreja de Cristo. Por outro lado, novamente, quando na morte de Salomão seu reino e povo foi dividido, Aías o profeta, encontrando Jeroboão o rei em campo, dividiu seu traje em doze pedaços, dizendo, “Tomes dez pedaços, pois assim diz o Senhor; Eis que eu dividirei o reino das mãos de Salomão, e eu te darei dez cetros, e dois cetros serão para ele para o bem do meu servo Davi, e para Jerusalém, a cidade que eu escolhi para por meu nome”3121 . Como as doze tribos de Israel foram divididas, o profeta Aías dividiu seu traje. Mas porque o povo de Cristo não pode ser dividido, Sua túnica, tecida e unida completamente, não deve ser dividida por aqueles que a possuem; indivisa, unida, conectada, ela mostra a concordância coerente de nosso povo que se reveste de Cristo. Pelo sacramento e sinal de Seu traje, Ele declarou a unidade da Igreja.

8. Quem, então, é tão pecaminoso e sem fé, quem é tão insano com a loucura da discórdia, que ou acreditaria que a unidade de Deus pode ser dividida, ou ousaria reparti-la, a vestimenta do Senhor, a Igreja de Cristo? Ele mesmo em Seu evangelho nos avisa, e ensina, dizendo, “E haverá um rebanho e um pastor”3122 . Alguém acredita que em um lugar pode haver ou vários pastores ou vários rebanhos? O apóstolo Paulo, além disso, nos compelindo esta mesma unidade, suplica e exorta, dizendo, “Eu vos suplico, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vós todos falem a mesma coisa, e que não haja cismas entre vós; mas que vós estejam unidos com a mesma mente e com mesmo julgamento”3123 . E novamente, ele diz, “Suportando-vos uns aos outros em amor, procurando manter a unidade do Espírito no vínculo da paz”3124 . Você pensa que você pode ficar de pé e viver se você abandonar a Igreja, construindo para ti mesmo outros lares e uma diferente habitação, quando é dito para Raabe, em quem foi prefigurada a Igreja, “Teu pai e tua mãe, e teus filhos, e toda casa de teu pai, eles deverão se juntar contigo em tua casa; e sucederá que qualquer que passar da porta de tua casa, seu sangue cairá sob sua cabeça”3125 ? Também o sacramento da páscoa contém nada mais na lei do Êxodo que o cordeiro, que é morto na figura de Cristo, devendo ser comido em uma casa. Deus fala, dizendo, “Em uma casa deveis comê-lo, não deveis retirar sua carne da casa”3126 . A carne de Cristo, e o santo do Senhor, não podem ser retirados, nem há qualquer outra casa para crentes senão a única Igreja. Este lar, esta família3127 de unanimidade, o Espírito Santo designa e aponta nos Salmos, dizendo, “Deus, que fez o homem habitar com uma mente em uma casa”3128 . Na casa de Deus, na Igreja de Cristo, homens vivem com uma mente, e continuam em concordância e simplicidade.

9. Então também o Espírito Santo vem como uma pomba, uma simples e alegre criatura, nem amarga com tristeza, não cruel em sua bicada, não violento com suas garras, amando habitações humanas, conhecendo a associação de uma casa; quando eles têm filhotes; trazendo seus filhotes junto; quando eles voam para longe, mantendo-se lado a lado uns com os outros em seus voos, levando sua via em mútuo intercurso, reconhecendo o acordo da paz com o beijo do bico, em todas as coisas cumprindo a lei da unanimidade. Esta é a simplicidade que deve ser conhecida na Igreja, esta é a caridade que deve ser mantida, para que o amor da irmandade possa imitar os pombos, que sua gentileza e obediência possa ser como os cordeiros e as ovelhas. O que a ferocidade dos lobos faz no seio cristão? O que faz a selvageria dos cães, e o veneno mortal das serpentes, e a sanguinária crueldade das bestas selvagens? Devemos ser parabenizados quando tais coisas são separadas da Igreja, para que eles não inutilizem as pombas e cordeiros de Cristo com seu contágio cruel e venenoso. Amargura não pode consistir e ser associada com a doçura, escuridão com a luz, chuva com céu limpo, batalha com paz, esterilidade com fertilidade, aridez com nascentes, tempestade com tranquilidade. Que ninguém pense que o bom pode partir da Igreja. O vento não leva o trigo, nem o furação arranca pela raiz a árvore que está baseada em uma rocha sólida. A palha leve é carregada pela tempestade, as fracas árvores são destruídas pelo princípio do redemoinho. O apóstolo João abomina e severamente ataca estes, quando diz, “Eles saíram de nós, mas eles não eram de nós, pois se eles fossem de nós, certamente teriam continuado conosco”3129 .

10. Portanto heresias não somente se originaram muitas vezes, mas continuam se originando, enquanto a mente pervertida não tem paz, enquanto uma discordante falta de fé não mantém unidade. Mas o Senhor permite e tolera estas coisas, enquanto a escolha da própria liberdade de alguém permanece, de forma que enquanto a distinção da verdade está testando nossos corações e nossas mentes, a sã fé daqueles que são aprovados pode brilhar com luz manifesta. O Espírito Santo nos avisa de antemão e diz pelo apóstolo, “É necessário também que haja heresias, para que aqueles que são aprovados possam ser feitos manifestos entre vós”3130 . Assim os fiéis são aprovados, assim os infiéis são detectados; assim mesmo aqui, antes do dia do julgamento, as almas dos justos e dos injustos já são divididas, e a palha é separada do trigo. Estes são aqueles que de seu próprio consentimento, sem nenhum arranjo divino, se colocaram para presidir entre a assembleia dos estranhos ousados, que apontam a si mesmos como prelados sem nenhuma lei de ordenação, que assumem para si mesmos o nome de bispos, apesar de ninguém lhes dar o episcopado; a quem o Espírito Santo aponta nos Salmos como sentando na cadeira da pestilência, pragas e manchas da fé, enganando com língua de serpente, e astuciosos ao corromper a verdade, vomitando venenos mortais de línguas pestilentas; cuja fala se alastra como um câncer, cujo discurso forma um veneno mortal no coração e peito de qualquer um.

11. Contra pessoas deste tipo que o Senhor clama; destes Ele refreia e chama de volta seu povo errante, dizendo, “Não ouçam as palavras dos falsos profetas; pois as visões de seus corações os enganam. Eles falam, mas não a partir da boca do Senhor. Eles dizem para aqueles que desprezam a palavra do Senhor: Vós tereis paz, e cada um que anda segundo sua própria vontade. Todo aquele que anda no erro do seu coração, nenhum mal deverá vir sobre ele. Eu não falei para eles, mas mesmo assim eles profetizam. Se eles tivessem ficado em minha fundação (substantia, ὑποστάσει), e tivessem ouvido minhas palavras, e ensinado meu povo, Eu os teria desviado de seus maus pensamentos”3131 . Novamente, o Senhor aponta e designa estes mesmos, dizendo, “Eles me abandonaram, a fonte de águas vivas, e cavaram para si cisternas rotas que não podem reter água”3132 . Apesar de não poder haver outro batismo senão um, eles pensam que eles podem batizar; apesar deles abandonarem a fonte de vida, eles prometem a graça da água viva e salvífica. Homens não são lavados entre eles, mas pelo contrário, são feitos de tolos; nem pecados são apagados, mas são até mesmo acumulados. Tal natividade não gera filhos de Deus, mas do diabo. Pela falsidade são gerados, e eles não recebem as promessas da verdade. Gerados da perfídia, eles perdem a graça da fé. Eles não podem conquistar a recompensa da paz, já que eles quebraram a paz do Senhor com a loucura da discórdia.

12. Nem pode qualquer um deles se enganar com uma fútil interpretação, em respeito às palavras do Senhor, “Onde quer que dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali estarei eu no meio deles”3133 . Corruptos e falsos intérpretes do Evangelho citam as últimas palavras, e deixam de lado as primeiras, lembram uma parte enquanto astutamente suprimem outra: como eles mesmos estão separados da Igreja, assim eles retiram a substância de uma seção. Pois o Senhor, quando urge unanimidade e paz em seus discípulos, diz, “Eu vos digo, que se dois de vós concordarem na terra a respeito de qualquer coisa que pedirem, isto vos será dado pelo meu Pai que está no céu. Pois onde quer que dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali estarei eu no meio deles”3134 ; mostrando que mais é dado, não à multidão, mas à unanimidade daqueles que oram. “Se”, diz Ele, “dois de vós concordarem na terra”: Ele colocou a concordância primeiro; Ele fez o acordo de paz um pré-requisito; Ele ensinou que nós devemos concordar firmemente e fielmente. Mas como nós podemos concordar com alguém que não concorda com o corpo da própria Igreja, e com a irmandade universal? Como podem dois ou três se juntarem no nome de Cristo, sendo evidente que estão separados de Cristo e Seu Evangelho? Pois nós não os abandonamos, mas eles nos abandonaram; e já que heresias e cismas têm se levantado subsequentemente, do estabelecimento para si mesmos de diversos lugares de adoração, eles abandonaram a Cabeça e a Fonte da verdade. Mas o Senhor fala a respeito de Sua Igreja, e para aqueles também que estão na Igreja Ele diz, que se eles estiverem em acordo, se de acordo com o que Ele ordenou e admoestou, apesar de somente dois ou três se juntarem com unanimidade para orar – apesar de serem dois ou três – eles poderão obter da majestade de Deus o que eles pedirem. “Onde quer que dois ou três estiverem reunidos em meu nome, Eu”, diz Ele, “estarei no meio deles”; ou seja, com o simples e pacífico – com aqueles que temem Deus e mantém os mandamentos de Deus. Com estes, apesar de somente dois ou três, Ele diz que Ele estaria, da mesma forma que Ele estava com os três jovens na fornalha de fogo; e porque eles permaneceram em Deus com simplicidade, e em unanimidade consigo mesmos, Ele os animou, no meio das chamas que os cercavam, com a brisa de orvalho. Da mesma forma que, com os dois apóstolos trancados na prisão, porque eles tinham a mente simples e unificada, Ele mesmo estava presente; Ele próprio, tendo soltado os parafusos da masmorra, os colocou novamente no mercado, para que eles pudessem declarar à multidão as palavras que eles fielmente pregavam. Quando, então, em Seus mandamentos Ele inclui e diz, “Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estarei com eles”, Ele não divide os homens da Igreja, vendo que Ele mesmo ordenou e fez a Igreja; mas censurando os infiéis por sua discórdia, e recomendando paz pela Sua palavra aos fiéis, Ele mostra que Ele prefere dois ou três que oram com uma só mente, do que uma grande quantidade que difere, e que mais pode ser obtido por uma oração concorde de poucos, do que uma súplica discorde de vários.

13. Assim então, quando Ele dá a lei da oração, Ele adiciona, dizendo, “E quando vós estiverdes orando, perdoem, se vós tiverdes algo contra alguém; para que vosso Pai no céu também possa os perdoar em vossas ofensas”3135 . E Ele manda voltar do altar aquele que veio ao sacrifício em disputa, e o insta a primeiro chegar em acordo com seu irmão, e então retornar com paz e ofertar sua dádiva a Deus: pois Deus não teve respeito pelas ofertas de Caim; pois ele não poderia ter Deus em paz com ele, sendo que ele através de discórdia invejosa não teve paz com seu irmão. Que paz, então, os inimigos dos irmãos prometem a si mesmos? Que sacrifícios aqueles que são rivais dos sacerdotes pensam que celebram? Eles supõem que eles possuem Cristo com eles quando eles se ajuntam, sendo que se ajuntam fora da Igreja de Cristo?

14. Mesmo se tais homens forem mortos na confissão do Nome, tal mancha não será nem mesmo lavada pelo sangue: a inexpiável e grave falta da discórdia não é nem mesmo apagada pelo sofrimento. Aquele que não está na Igreja não pode ser um mártir; ele não pode chegar ao reino se ele abandonar aquele que deve reinar ali. Cristo nos deu paz; ele nos ordenou estarmos em concordância e em uma só mente. Ele declarou que os laços de amor e caridade deveriam ser mantidos incorruptíveis e invioláveis; aquele que não tem mantido o amor fraterno não pode-se mostrar um mártir. O apóstolo Paulo ensina isto, e testifica, dizendo, “E se eu tiver fé, de forma que eu posso remover montanhas, e não tiver caridade, eu sou nada. E se eu tiver dado todos os meus bens para alimentar os pobres, e se eu tiver entregado meu corpo para ser queimado, e não tiver caridade, não terá me valido nada. Caridade é magnânima, caridade é boa; caridade não inveja, caridade não age de forma vã, caridade não se vangloria, não é facilmente provocada, não pensa no mal; ama todas as coisas, acredita em todas as coisas, espera em todas as coisas, suporta todas as coisas. Caridade nunca falha”3136 . “Caridade”, diz ele, “nunca falha”. Pois ela estará para sempre no reino, ela permanecerá para sempre na unidade de uma irmandade unida a ela. Discórdia não pode chegar ao reino dos céus, às recompensas de Cristo, que diz, “Este é o meu mandamento, que vós ameis uns aos outros, assim como Eu vos tenho amado”3137 , o que tem violado o amor de Cristo pela infiel divergência não poderá alcançá-lo3138 . Aquele que não tem caridade não tem Deus. A palavra do bendito Apóstolo João é: “Deus”, diz ele, “é amor e aquele que habita em amor habita em Deus, e Deus habita nele”3139 . Aqueles que não são de uma mente na Igreja de Deus não podem habitar com Deus. Apesar deles queimarem, entregues às chamas e fogo, ou entregarem suas vidas, jogados às bestas selvagens, isto não será a coroa de fé, mas a punição da perfídia; nem isto será o final glorioso do valor religioso, mas a destruição do desespero. Tal pessoa pode ser morta, mas não poderá ser coroada. Ele professa ser cristão da mesma forma que o diabo frequentemente dissimula ser ele mesmo Cristo, como o próprio Senhor nos avisa de antemão, e diz, “Muitos virão em meu nome, dizendo, Eu sou Cristo, e enganarão a muitos”3140 . Assim como ele não é Cristo, apesar dele enganar em respeito ao nome; assim também não pode aparecer como um cristão, aquele que não permanece na verdade do Seu Evangelho e da fé.

15. Pois tanto profecia e expulsar demônios, e fazer grandes atos sobre a terra é certamente uma coisa sublime e admirável, mas ninguém alcança o reino dos céus se não for encontrado em todas estas coisas, a menos que ele ande na observância do certo e justo caminho. O Senhor denuncia, e diz, “Muitos dirão para mim naquele dia, Senhor, Senhor, não profetizamos em Teu nome e em Teu nome expulsamos demônios, e em Teu nome fizemos muitos trabalhos maravilhosos? E então eu professarei a eles, eu nunca vos conheci, apartem-se de mim, vós que cometem iniquidade”3141 . Há a necessidade de justiça, para que alguém possa merecer o bem de Deus, o Juiz. Nós devemos obedecer seus preceitos e avisos, para que nossos méritos possam receber sua recompensa. O Senhor em Seu Evangelho, ao direcionar o caminho de nossa esperança e fé em um breve sumário, diz, “O Senhor vosso Deus é um Deus: e vós deveis amar o Senhor teu Deus de todo vosso coração, e de toda vossa alma, e de toda vossa força. Este é o primeiro mandamento, e o segundo é como este: Vós deveis amar vosso próximo como a vós mesmos. Nestes dois mandamentos estão baseados toda a lei e os profetas”3142 . Ele ensinou, ao mesmo tempo, amor e unidade por Sua instrução. Ele incluiu todos os profetas e a lei em dois preceitos. Mas que unidade mantém, que amor mantém ou considera aquele que irritado com loucura da discórdia, divide a Igreja, destrói a fé, perturba a paz, dissipa a caridade, profana o sacramento?

16. Este mal, mui fiéis irmãos, há muito tempo se iniciou, mas agora a perversa destruição do mesmo mal tem aumentado, e a praga envenenada da perversidade herética e dos cismas começou a nascer e brotar novamente. Pois assim mesmo ela deve estar no fim do mundo, já que o Espírito Santo prevê e nos avisa de antemão pelo apóstolo, dizendo, “Nos últimos dias”, diz ele, “perigosos tempos virão, e homens serão amantes de si próprios, gananciosos, fanfarrões, cobiçosos, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, profanos, sem afeição natural, implacáveis, falsos acusadores, incontinentes, cruéis, odiando o bem, traidores, atrevidos, orgulhosos, amantes dos prazeres mais do que amantes de Deus, tendo um tipo de forma3143 de religião, mas negando-lhe o poder. Deste tipo são aqueles que se introduzem pelas casas, e levam cativos mulheres tolas carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; sempre aprendendo e nunca chegando ao conhecimento da verdade. E como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade;3144 mas eles não devem avançar, pois sua tolice será manifesta para todos os homens, assim como a daqueles também foi”3145 . O que quer que foi previsto foi cumprido; e como o fim do mundo está aproximando, eles vieram para a provação assim como os homens daqueles tempos. O erro enganando à medida que o adversário se encoleriza mais e mais; a falta de senso se levanta, inveja em chamas, a cobiça cega, a impiedade deprava, soberba incha, discórdia exaspera, a ira apressa de forma precipitada.

17. Não deixemos ainda que a excessiva e precipitada falta de fé de muitos nos perturbe, mas ao contrário, fortaleça nossa fé na honestidade que predisse a situação. Já que alguns se tornaram assim, pois estas coisas foram preditas de antemão, acautelem-se então os outros irmãos de situações iguais, porque estas também foram preditas de antemão, assim como o Senhor nos instrui dizendo, “Mas vós prestais atenção: eis que eu vos tenho dito tudo”3146 . Evitem, eu vos suplico, irmãos, homens deste tipo, e afastem de seu lado e de seus ouvidos, como se isto fosse um contágio mortal, suas conversas mesquinhas; como está escrito, Cercai vossos ouvidos com espinhos, e recusai ouvir uma língua má”3147 . E novamente, “Más conversações corrompem os bons costumes”3148 . O Senhor ensina e nos avisa para nos afastar de tais. Ele disse, “Eles são líderes cegos de cegos, e se o cego guia o cego, ambos cairão no buraco”3149 . Deve-se dar meia volta e se evitar, quem quer que seja que se separou da Igreja. Tal pessoa é pervertida e peca, e é condenada em seu próprio ser. Pensa que tem Cristo, aquele que age em oposição aos sacerdotes de Cristo, que se separa da companhia de Seu sacerdócio e povo? Ele levanta as mãos contra a Igreja, ele contende contra a indicação de Deus. Um inimigo do altar, um rebelde contra o sacrifício de Cristo, pela fé infiel, pela religião profana, um servo desobediente, um filho impiedoso, um irmão hostil, desprezando os bispos, e abandonando os sacerdotes de Deus, ele ousa estabelecer outro altar, fazer outra oração com palavras não autorizadas, profanar a verdade da oferta do Senhor com falsos sacrifícios, e não3150 saber que aquele que se esforça contra a indicação de Deus, é punido na visitação divina pela sua atrevida audácia.

18. Assim, Coré, Datã e Abirão, que se esforçaram em clamar a si mesmos o poder de sacrificar em oposição a Moisés e Aarão o sacerdote, passaram por punição imediata por causa de suas tentativas. A terra, quebrando seus jejuns, abriu-se em um profundo abismo, e a rachadura no chão engoliu os homens em pé e vivos. Nem a ira do indignado Deus assolou somente aqueles que moveram (a sedição); mas duzentos e cinquenta associados e compartilhadores daquela loucura também, que estavam misturados com eles naquela audácia, o fogo que veio do Senhor consumiu com uma rápida vingança; sem dúvida para admoestar e mostrar que o que quer que seja que aqueles homens perversos fizeram para que a vontade humana sobrepujasse o apontamento de Deus, fizeram em oposição a Deus. Assim também Uzias o rei, quando ele tomou o incensário e violentamente quis sacrificar contra a lei de Deus, e Azarias o sacerdote se opôs a ele, não lhe obedeceu e recuou. Ele foi confundido pela indignação divina, e foi contaminado em sua fronte por lepra: ele foi marcado por um Senhor ofendido naquela parte de seu corpo onde aqueles que merecem o bem do Senhor são marcados. E os filhos de Aarão, que colocaram fogo estranho no altar, que o Senhor não comandou, foram mortos de uma vez na presença de um Senhor vingador.

19. Sem dúvida eles imitam e seguem estes que desprezam a tradição de Deus, procuram doutrinas estranhas e trazem doutrinas de apontamento humano, as quais o Senhor reprova e censura em Seu Evangelho, dizendo, “Vós rejeitais os mandamentos de Deus, para que possais manter vossa própria tradição”3151 . Este é um crime pior do que aquele que os lapsos parecem ter caído, que no entanto, ficando como penitentes por seu crime, suplicam a Deus com completa satisfação. Neste caso, a Igreja é procurada e rogada; no outro caso, a Igreja é resistida. Neste caso é possível que tenha havido a necessidade, no outro a vontade é engajada na perversidade. De um lado, o lapso só causou dano a si mesmo, do outro, aquele que se esforçou em causar uma heresia ou um cisma tem enganado muitos ao arrastá-los com ele. No primeiro, é a perda de uma alma, no último, o risco de várias. Certamente o primeiro entende que ele pecou e lamenta; o outro, estufado em seu coração, e se aprazendo de seus crimes, separa os filhos de sua Mãe, seduz as ovelhas de seu pastor, perturbam os sacramentos de Deus; e enquanto os lapsos pecam uma vez, ele peca diariamente. Finalmente os lapsos, que subsequentemente alcançaram o martírio, podem receber as promessas do reino; enquanto os outros, se foram mortos sem a Igreja, não poderão conseguir as recompensas da Igreja.

20. Que ninguém se maravilhe, amados irmãos, que mesmo alguns dos confessores chegam a este ponto, e por isso também que alguns pecam tão perversamente, tão gravemente. Pois a confissão não faz um homem ser livre das garras do diabo, nem defende um homem que ainda está no mundo, com uma segurança perpétua das tentações, e perigos, e assaltos, e ataques do mundo; de outra forma não deveríamos nunca ver nos confessores aquelas subsequentes fraudes, e fornicações, e adultérios que agora nós com suspiros e pesares testemunhamos em alguns. Seja quem for tal confessor, ele não é maior, ou melhor, ou mais querido a Deus do que Salomão, que, apesar de ter andado nos caminhos de Deus por tanto tempo, manteve aquela graça que ele recebeu do Senhor, mas depois de abandonar os caminhos do Senhor ele perdeu também a graça do Senhor3152 . E então foi escrito, “Guarda o que tens, para que outro não te tome a coroa”3153 . Mas sem dúvida o Senhor não ameaçaria tirar a coroa de justiça, a não ser que, quando a justiça partisse, a coroa também partisse.

21. Confissão é o começo da glória, não a posse completa da coroa; nem ela aperfeiçoa nossa honra, mas inicia nossa dignidade; e já que está escrito, “Aquele que perseverar até o final, este será salvo”3154 , o que for que houver antes do fim é um passo pelo qual nós subimos o monte da salvação, não uma estação final onde o resultado completo da subida já é recebido. Ele é um confessor, mas depois da confissão seu risco é maior, porque o adversário está mais provocado. Ele é um confessor; por esta causa ele deve ficar mais ao lado do Evangelho do Senhor, já que ele pelo Evangelho tem alcançado a glória do Senhor. Pois o Senhor diz, “Para quem é dado muito, muito dele será requerido; e para quem a dignidade é atribuída, mais serviço lhe é exigido”3155 . Que ninguém pereça pelo exemplo de um confessor; que ninguém aprenda injustiça, que ninguém aprenda arrogância, que ninguém aprenda traição através dos hábitos de um confessor. Ele é um confessor, que ele seja humilde e quieto; que ele seja em seus afazeres modesto com disciplina, de forma que aquele que é chamado confessor de Cristo possa imitar Cristo a quem ele confessa. Pois já que Ele diz, “Quem quer que se exaltar será humilhado, e aquele que se humilha será exaltado”3156 e já que Ele mesmo tem sido exaltado pelo Pai, porque como Verbo, e a força, e a sabedoria de Deus o Pai, Ele se humilhou sobre a terra, como poderia Ele amar a arrogância, tendo através de Sua própria lei nos ordenado a humildade, e Ele mesmo recebendo o mais alto nome do Pai como recompensa por Sua humildade? Ele é um confessor de Cristo, mas somente se a majestade e dignidade de Cristo não for depois blasfemada por ele. Que a língua que confessou Cristo não seja maledicente; que não seja turbulenta, que não seja ouvida berrando reprovações e contendas, que depois de palavras de honra, não lance o veneno de serpentes contra os irmãos e sacerdotes de Deus. Mas se alguém for subsequentemente blasfemador e insolente; se ele desperdiçou sua confissão com conversa maligna; se ele manchou sua vida com torpe tolice; se, finalmente, abandonando a Igreja onde ele se tornou um confessor, e prejudicando a concordância da unidade, trocou sua primeira fé por uma subsequente descrença, ele não pode mais se vangloriar a respeito de sua confissão, que ele é eleito para a recompensa de glória, quando por causa deste mesmo fato seu merecimento de punição se tornou ainda maior.

22. Pois o Senhor escolheu Judas também entre os apóstolos, e mesmo assim depois Judas traiu o Senhor. Mas não por causa deste fato que a fé e firmeza dos apóstolos falharam, quando o traidor Judas falhou em seu grupo: da mesma forma no caso em questão a santidade e dignidade dos confessores não é diminuída, quando a fé de alguns deles é quebrada. O bendito Apóstolo Paulo em sua epístola fala desta maneira: “Pois se alguns deles caem da fé, sua infidelidade faz a fé de Deus inefetiva? Deus proíbe: pois Deus é verdadeiro, e todo homem um mentiroso”3157 . A maior e melhor parte dos confessores fica firme na força de sua fé, e na verdade da lei e disciplina do Senhor; nem partem eles da paz da Igreja, os quais lembram que obtiveram graça na Igreja pela condescendência de Deus; e por este mesmo motivo eles obtêm uma honra ainda maior de sua fé, que eles têm se separado da falta de fé daqueles que estiveram associados com eles na sociedade da confissão, e têm abandonado o contágio do crime. Iluminados pela verdadeira luz do Evangelho, brilhando com a pura e branca luz do Senhor, eles são tão louváveis em manter a paz de Cristo quanto ser vitoriosos em seu combate contra o diabo.

23. Eu de fato desejo, amados irmãos, e eu igualmente me esforço e exorto, para que se for possível, nenhum dos irmãos pereçam, e que nossa alegre Mãe possa confinar em seu seio o corpo uno de um povo em concordância. Mas se o saudável conselho não pode trazer de volta para o caminho da salvação certos líderes de cismas e originadores de dissenções, que permanecem em cegueira e loucura obstinada, pelo menos vocês outros, se ou pegos na simplicidade ou induzidos pelo erro, ou enganados por alguma astúcia ou esperteza enganadora, se libertem das redes do engano, libertem seus pés errantes dos erros, reconheçam o caminho correto da estrada celestial. A palavra do Apóstolo é: “Nós vos ordenamos”, diz ele, “no nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vós vos apartais de todos os irmãos que andam desordenadamente, e não segundo a tradição que eles têm recebido de nós”3158 . E novamente ele diz, “Que nenhum homem vos engane com palavras vãs; pois por causa destas coisas que a ira de Deus veio sobre os filhos da desobediência. Não sejais portanto participantes com eles”3159 . Nós devemos nos apartar, melhor, devemos fugir daqueles que caem, para que ninguém, enquanto é associado com aqueles que andam pecaminosamente e continuam nos caminhos do erro e do pecado, perambulando longe do caminho da verdadeira estrada, também não se encontre em mesma culpa. Deus é um, e Cristo é um, e Sua Igreja é uma, e a fé é uma, e o povo3160 está unido em uma substancial unidade de corpo pelo cimento da concordância. Unidade não pode ser prejudicada; nem pode um corpo ser separado por uma divisão de sua estrutura, ou feito em pedaços, com suas vísceras arrancadas em partes por dilaceração. O que procedeu do ventre não pode viver e respirar em sua condição desapegada, mas perde a substância da saúde.

24. O Espírito Santo nos avisa, dizendo, “Qual homem é aquele que deseja viver, e está ansioso de ver bons dias? Guarde sua língua do mal, e seus lábios de falarem dolosamente. Aparta-te do mal, e faça o bem; procure a paz, e segue-a”3161 . O filho da paz deve buscar a paz e segui-la. Aquele que conhece e ama os laços de caridade devem refrear suas línguas do mal da divergência. Entre Seus divinos comandos e salutares ensinos, o Senhor, quando estava próximo de Sua paixão, adicionou este aqui, dizendo, “Paz eu deixo convosco, minha paz eu vos dou”3162 . Ele nos deu isto como uma herança; Ele prometeu todas as dádivas e recompensas das quais Ele falou através da preservação da paz. Se nós somos coerdeiros com Cristo, permaneçamos na paz de Cristo; se somos filhos de Deus, nós devemos ser pacificadores. “Abençoado”, diz Ele, “são os pacificadores; pois eles serão chamados filhos de Deus”3163 . Exige-se dos filhos de Deus que sejam pacificadores, gentis de coração, simples no falar, concordando em afeição, fielmente ligados uns aos outros pelos laços da unanimidade.

25. Esta unanimidade antigamente prevalecia entre os apóstolos; e assim a nova assembleia de crentes, mantendo os mandamentos do Senhor, manteve sua caridade. As Divinas Escrituras provam isto, quando dizem “Mas a multidão daqueles que acreditaram eram de um coração e uma alma”3164 . E novamente: “Estes todos continuaram com uma mente em oração com as mulheres, e Maria a mãe de Jesus, e com seus irmãos”3165 . E assim3166 eles oraram com orações efetivas; assim eles foram capazes com confiança a obter o que pedissem da misericórdia do Senhor.

26. Mas em nós a unanimidade é diminuída proporcionalmente à queda da generosidade na obra. Antes eles costumavam entregar casas e propriedades para venda; e para que eles pudessem ajuntar para si mesmos um tesouro no céu, apresentavam aos apóstolos o dinheiro recebido, para ser distribuído para o uso do pobre. Mas agora nós sequer damos o dízimo de nosso patrimônio; e enquanto nosso Senhor nos ordena a vender, nós pelo contrário compramos e aumentamos nossos bens. Assim o vigor da fé tem se tornado escasso entre nós; assim se enfraqueceu a força dos crentes. E então o Senhor, olhando para nossos dias, diz em Seu Evangelho, “Quando o Filho do homem vier, pensas que Ele achará fé na terra?”3167 Nós vemos que o que ele predisse tem se concretizado. Não há fé no temor de Deus, na lei da justiça, no amor, no labor; ninguém considera o temor do futuro e ninguém toma no coração o dia do Senhor, e a ira de Deus, e as punições que virão aos descrentes, e os tormentos eternos decretados aos infiéis. Aquilo que nossa consciência deveria temer se acreditasse, ela não teme porque ela não acredita tanto assim. Mas se ela acreditasse, ela também prestaria atenção, e se prestasse atenção, ela escaparia.

27. Despertemos, amados irmãos, quanto mais pudermos; e quebrando o repouso de nossa antiga indiferença, sejamos vigilantes para observar e para fazer os preceitos do Senhor. Sejamos assim como Ele nos ordenou ser, dizendo, “Estejam cingidos vossos lombos e acesas vossas candeias;3168 e sede como homens que aguardam seu Senhor, quando Ele vier do casamento, para que quando Ele chegar e bater na porta, eles possam abri-la para Ele. Benditos são aqueles servos cujo Senhor, quando vier, os encontrar vigiando”3169 . Nós devemos estar cingidos, para que, quando o dia da partida chegar, não sejamos encontrados impedidos e embaraçados. Brilhe nossa luz em boas obras, e brilhe de tal modo que nos leve da noite deste mundo para a luz do dia de eterna claridade. Esperemos sempre com ansiedade e cuidado pela vinda repentina do Senhor, para que quando Ele bata na porta, nossa fé possa estar vigilante, e receber do Senhor a recompensa de nossa vigilância. Se estes comandos forem observados, se estes avisos e preceitos forem mantidos, nós não seremos vencidos em repouso pela engodo do diabo; mas nós deveremos reinar com Cristo em Seu reino como servos que vigiam.


[...]

[N. do T: Adicionamos também as elucidações de Phillip Schaff relacionadas a este texto, para auxiliar no estudo de Cipriano]

[...]

Elucidações

I.

(Da Unidade da Igreja, pág. 421.)

As epístolas já foram elucidadas como a melhor exposição deste tratado. Pouco precisa ser adicionado. Mas, para ilustrar a influência deste tratado sobre a história da unidade cristã, nós precisamos somente nos referir à maneira a qual o tema foi tratado assim que o papado foi criado por Nicolau I. Assim, ele impressionou os gregos com sua consumada audácia (860 D.C.) na questão da disputa pela sucessão em Constantinopla4637 . “É nossa vontade”, diz ele, “que Inácio apareça diante de nossos enviados”, etc. Ele declara ser a regra dos Pais que, “sem o consentimento da Sé romana e do pontífice romano, nada pode ser decidido”. Também ele afirma, “O Criador de todas as coisas estabeleceu o Principado do Poder Divino, que Ele concedeu aos Seus escolhidos apóstolos. Ele o estabeleceu firmemente na fé firme do Príncipe dos Apóstolos – ou seja, Pedro – a quem ele preeminentemente concedeu a primeira Sé”, etc. Ele estava agora falando pela força dos Decretos forjados, aos quais ele apela, e com os quais ele obteve sucesso em fazer lei para o Oeste. Ele então criou o último cisma com os orientais, que nunca ouviram coisa parecida antes de seu tempo.

Obviamente, então, se Cipriano tivesse tais ideias, seu tratado jamais seria escrito; pois é uma exposição maestral de um ponto curioso, a saber, o fato que (1) o Apóstolo Pedro recebeu o primeiro privilégio sozinho, mas ainda (2) todos os apóstolos receberam precisamente o mesmo; enquanto (1) Pedro tinha assim uma primazia de honra, ainda (2) de forma alguma tinha qualquer poder ou autoridade sobre seus irmãos. Sobre estes fatos admitidos ele constrói sua teoria de unidade, expondo por ela o atual estado da constituição da Igreja. Ele honra a memória de Pedro, mas sem qualquer reverência menor por todas as Sés apostólicas, que mais e mais ele mantém ser de igual autoridade e santidade. Que a Igreja foi fundada em Estêvão mais do que no Bispo de Cartago, ele nunca imaginou; pois uma coisa é permitir que um bispo suceda um apóstolo no lugar de seus últimos labores, outra coisa bem diferente é assumir que tal bispo é virtualmente o próprio apóstolo. Mas esta hipótese é a fundação de toda doutrina romana sobre este ponto.4638

Se esta fosse a ideia de Cipriano, seu Tratado sobre a Unidade deveria ter procedido assim: (1) “Nosso Senhor disse a Pedro somente, eu te darei as chaves; (2) ao resto dos apóstolos Ele deu apenas uma autoridade inferior e sujeita; (3) ao sucessor de Pedro, então, em Roma, todos os outros bispos e igrejas devem estar sujeitos; pois (4) nesta sujeição a lei da unidade consiste; e (5) se mesmo todos os outros apóstolos fossem vivos até os dias de hoje, eles deveriam estar sujeitos a Estêvão, como Príncipe dos Apóstolos, ou seriam rebeldes contra Cristo”.

Compare este tratado de Cipriano, então, com qualquer tratado autorizado sobre o assunto procedido da Roma moderna, e será visto que os dois sistemas são irreconciliáveis. Assim, em poucas palavras, diz a Confissão4639 de Pio IV.: “Eu reconheço a Santa Católica Apostólica Igreja Romana como mãe e senhora de todas as igrejas; e eu prometo verdadeira obediência ao Bispo de Roma, sucessor de São Pedro, Príncipe dos Apóstolos, e Vicário de Jesus Cristo”. Esta é a voz da Itália no nono século; mas Cipriano fala pela Cristandade Ecumênica no terceiro, e os dois sistemas são tão contrários quanto as trevas e a luz.

II.

(Falsificação do texto, pág. 422.)

Cipriano é frequentemente citado inocentemente por controversistas romanistas contra os mesmos princípios do próprio Cipriano, de sua vida e seus escritos. Isto é por que eles possuem em suas mãos cópias corrompidas e interpoladas. Assim, tomem uma famosa passagem como se segue:

Cipriano

Interpolado

Loquitur Dominus ad Petrum, Ego tibi dico Tu es Petrus, etc.(a)

Super unum(b) ædificat ecclesiam.

Hoc erant utique et cæteri apostoli quot fuit Petrus, qui consortio præditi et honoris et potestatis, sed exordium ab unitate proficisitur,(c) ut(d) Christi ecclesia(e) una monstretur.(f)

Qui Ecclesiæ resistitur et resistit,(g) in ecclesia se esse confidit?

(a) Et iterum eidem, post ressurectionem suam dicit, Pasce oves meas.

(b) Super illum unum…et illi pascendas mandat oves suas.

(c) Et primatus Petro datur.

(d) Una.

(e) Et cathedra.

(f) Et pastores sunt omnes et grex unus ostenditur, qui ab apostolis omnibus, unanimi consensione pascatur, etc.

(g) Qui cathedram Petri, super quem fundata est ecclesia deserit, etc.

Este é apenas um exemplo da forma como Cipriano foi “doutorado”, para trazê-lo para uma forma capaz de ser reinterpretado. Mas você perguntar quais as provas de tais interpolações? A grandemente celebrada edição Beneditina lê da mesma forma que a coluna interpolada lê, e quem não iria dar crédito a Balúzio? Agora note, Balúzio rejeitava estas interpolações e outras, mas, morrendo (1718 D.C) com seu trabalho inacabado, o término da tarefa foi atribuído a um monge sem nome, que confessa que ele corrompeu o trabalho de Balúzio, ou melhor, se gloria na façanha.4640 “Não, além disto,” diz ele, “foi necessário alterar não poucas coisas nas notas de Balúzio; e mais poderia ser alterado se pudesse ser feito convenientemente”. Mas a edição saiu, e se passou como o genuíno trabalho do próprio erudito Balúzio.

Uma edição deste tratado, com valorosas anotações, apareceu (1852 D.C.) da gráfica de Burlington, N.J., sob a edição do bastante confiável Professor Hyde, que logo após foi chamado a partir desta vida. Ela exibe as interpolações, e dá um útil catálogo de códices e edições. Apesar de sua execução tipográfica ser imperfeita, eu não saberia onde tanta informação condensada sobre o assunto estaria com tão baixo custo.4641 Eu sou grato pela verdadeira vantagem que eu tive em sua primeira aparição.

Notas

3097. [Escrito em 251 D.C. Apesar de ser, pela ordem cronológica, o terceiro tratado escrito, eu o coloquei aqui por causa de sua dignidade, e por causa de sua importância como chave para todos os escritos de Cipriano; pois esta teoria é em todo lugar o princípio fundamental de sua conduta e de sua correspondência. Ela ilustra as epístolas de Inácio assim como as suas próprias, e dá o sentido no qual os primitivos cristãos entendiam estas palavras do Credo, “a Santa Igreja Católica”. Este tratado tem sido sujeito à interpolações falsas, há muito tempo expostas e detectadas, para fazê-lo menos subversivo à contra-teoria de Roma como desenvolvido pelos doutores da escola. Elucidação I.]

3098. Descrevendo em poucas palavras a ambição e dissimulação de Novaciano em invadir o episcopado de Roma, ele argumenta bastante que nem de um lado, a passagem em Mateus 18 é de alguma utilidade para compensar seu pequeno número contra a Igreja: “Onde que que dois ou três se reunirem em meu nome”, etc.; nem, por outro lado, o martírio poderia ser de qualquer benefício a eles fora da Igreja. Então ele os diz que eles não precisam se maravilhar que heresias floresçam, já que elas foram preditas por Cristo; nem que certos confessores romanos concordaram com o cisma, por que antes da morte ninguém é abençoado, e o traidor Judas foi encontrado exatamente na companhia dos apóstolos. Ainda ele os insta a abandonar a associação de cismáticos e heréticos, e finalmente exorta-os pelas Escrituras à paz e unanimidade.

3099. Mt 5:13.

3100. A coisa rastejante e que rouba.

3101. Ou “vivo”.

3102. Mt 19:17.

3103. cJo 14:15.

3104. Mt 7:24.

3105. [Note aqui que nosso autor é completamente ignorante quanto a qualquer Centro de Unidade, de qualquer Sé como teste de comunhão; em resumo, de qualquer bispo tendo mais da autoridade de Pedro do que outros, é suficiente refutação da existência de qualquer coisa do tipo. Por outro lado, como se poderia ignorar estas coisas em um tratado devotado ao tema da unidade, sua natureza e critério? O esforço de inserir no texto algo do tipo, por corrupção, demonstra como é completamente insatisfatório para os teoristas e dogmatistas da Idade Média o trabalho não adulterado, que eles não puderam deixar só.]

3106. [Sobre a falsificação do texto por editores romanos, veja Elucidação II.]

3107. Mt 16:18,19.

3108. Jo 21:15. [Aqui é interpolado]: “Sobre ele, sendo um, Ele constrói Sua Igreja, e entrega suas ovelhas para serem alimentadas.”

3109. Jo 20:21.

3110. [Aqui é interpolado]: “E a primazia é dada a Pedro, para que possa ser mostrado uma Igreja de Cristo e uma Sé; e eles são todos ovelhas, e a Rocha é uma, que é alimentado por todos os apóstolos com um consentimento unânime.” Esta passagem, assim como a outra poucas linhas antes, é acima de qualquer questão espúria.

3111. Ct 6:9.

3112. [Aqui é interpolado]: “Quem abandona a cátedra de Pedro, sobre a qual a Igreja é fundada.” Esta passagem também é induvidavelmente espúria.

3113. Ef 4:4.

3114. [ou seja, o episcopado universal é a cátedra de Pedro.]

3115. [Esta máxima é a essência do tratado; ou seja, “Ecclesia in Episcopo”. Compare com p.333, nota 9, supra.]

3116. Mt 12:30.

3117. Jo 10:30.

3118. 1Jo 5:7.

3119. A leitura acima desta passagem parece infelizmente obscura; e não é muito reparada ao se substituir “ipsam” por Christum, a menos que “potius” seja omitido, como em algumas edições, cujo caso deveríamos ler, “que o deveria vestir”.

3120. Jo 19:23,24.

3121. 1Re 11:31.

3122. Jo 10:16.

3123. 1Co 1:10.

3124. Ef 4:3.

3125. Js 2:19.

3126. Ex 12:46.

3127. “Hospitium.”

3128. Sl 68:6.

3129. 1Jo 2:19.

3130. 1Co 11:19.

3131. Jr 23:16–21.

3132. Jr 2:13.

3133. Mt 18:20.

3134. Mt 18:19,20. [Compare com Jo 20:26–29.]

3135. Mc 11:25. [Freeman, Principles, etc. vol. i. 417.]

3136. 1Co 13:2–5,7,8.

3137. Jo 15:12.

3138. De acordo com algumas leituras, “para Cristo”, ou “para as recompensas de Cristo”.

3139. 1Jo 4:16.

3140. Mc 13:6.

3141. Mt 7:22.

3142. Mc 12:29–31.

3143. Deformationem religionis.

3144. Alguns introduzem, “homens corrompidos em sentimentos, reprovados com respeito à fé”.

3145. 2Tm 3:1–9. [Vol. iv. p. 521, desta série.]

3146. Mc 13:23.

3147. Eclo 28:24, Vulgata.

3148. 1Co 15:33.

3149. Mt 15:14.

3150. De acordo com alguns, “não se digna”, ou “desdenha de saber”.

3151. Mc 7:9.

3152. Alguns leem, “Como está escrito, E o Senhor incitou o adversário (Satã) contra Salomão; e então no Apocalipse o Senhor solenemente avisa João”.

3153. Ap 3:11.

3154. Mt 10:22.

3155. Lc 12:48.

3156. Lc 18:14.

3157. Rm 3:3.

3158. 2Ts 3:6.

3159. Ef 5:6.

3160. “é um”.

3161. Sl 34:12,13.

3162. Jo 14:27.

3163. Mt 5:9.

3164. At 4:32. [Bernardo, Epist. ccxxxviii., Opp. i. 502.]

3165. At 1:14.

3166. Alguns interpolam “porque”.

3167. Lc 18:8.

3168. Alguns leem, “em suas mãos”.

3169.Lc 12:35.

[...]

4637. Para o lado Ultramontano, consulte Histoire de Photius, etc., par M. l’Abbé Jager, p. 41, ed. Paris, 1854. Para os gregos, La Papauté Schismatique, etc., par M. l’Abbé Guettée (pp. 286, 288, etc.), Paris, 1863.

4638. “O que for que for dito em respeito a São Pedro é transferido instantaneamente ao ocupante do papado, como se pasce oves meas foi dito a Pio IX.” Burgon, Letters from Rome, p. 411, ed. 1862.

4639. Compendium Ritualis Romani, etc., Baltimori, 1842, p. 195.

4640. Burgon, Letters from Rome, p. 417.

4641. Th. C. Cypriani de Unitate Ecclesiæ ad optimorum librorum fidem expressa, cum variis lectionibus, ad notationibus Fellii, Baluzii, etc., instructa. Curante M. F. Hyde, M.A., etc., Burlingtoniæ, MDCCCLII.

Ler 2910 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Últimos artigos

Assuntos principais

Últimos comentários