• Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos.

    Mateus 5:44,45

  • Disse-lhes ele: Por causa da vossa pouca fé; pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele há de passar; e nada vos será impossível

    .

    Mateus 17:20

  • Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, e não vai após a perdida até que a encontre?

    Lucas 15:4

  • Então ele te dará chuva para a tua semente, com que semeares a terra, e trigo como produto da terra, o qual será pingue e abundante. Naquele dia o teu gado pastará em largos pastos.

    Isaías 30:23

  • As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem;

    João 10:27

prev next

Bem vindos!!

Sejam bem-vindos ao novo site e-cristianismo!! Nosso site foi recentemente invadido, então estamos trabalhando para recuperar o conteúdo. Esperamos terminar esta tarefa em breve.

Verso do dia

Motivação do movimento missionário

Escrito por  Justo L. González, Carlos Cardoza Orlandi
Grande Comissão

Nesse ponto, convém voltarmos à tão mencionada “Grande Comissão”. Tal como é frequentemente citada, a passagem começa com as palavras: “Portanto, ide...”. A conjunção “portanto” implica sempre um antecedente, uma razão para o que segue. Nesse caso, esse antecedente são as palavras do próprio Jesus: “Todo poder me foi dado no céu e na terra. Portanto ide...”. Em última instância, a razão pela qual os crentes devem ir a todas as nações não é por termos pena dos que se perdem, ou porque nossa cultura seja superior, ou por termos algo a lhes ensinar. A principal razão é o senhorio universal de Jesus Cristo. Jesus disse que já é o Senhor de toda a terra. Não há lugar onde ele não esteja. Não há lugar para o qual seja necessário que os crentes o leve. O Senhor que era no princípio com Deus, por quem todas as coisas foram feitas, e que é a luz que ilumina todo ser, já está lá. Está atuando nos indivíduos e nas culturas, ainda que não o conheçam, ainda que sua presença seja anônima. Nesse sentido, o que todos crentes fazem, ao dar seu testemunho, é convidar outros a crer, levando-os ao conhecimento do nome de Jesus, de seus ensinamentos e de suas promessa. Mas não levar Jesus.

Se o Senhor Jesus já está ali ao chegarmos, isto quer dizer que, no empreendimento missionário, vamos ao encontro, não só de quem não crê, mas também de Jesus, em quem nós já cremos. Indo a esses lugares, onde ele nos disse que seu senhorio, apesar de desconhecido, é real, conhecemos um pouco mais dele e de seus propósitos. Assim, por exemplo, Pedro aprendeu um pouco mais do Evangelho ao pregá-lo ao pagão Cornélio e a igreja antiga aprendeu um pouco mais ao penetrar a cultura greco-romana.

Tudo isso significa que a história das missões, bem entendida, não é somente a história da expansão do cristianismo, mas também a história de suas muitas conversões - o que a Igreja já tem aprendido e descoberto em diversos tempos, lugares e civilizações.

História do movimento missionárioGONZÁLEZ, Justo L., ORLANDI, Carlos Cardoza, História do Movimento Missionário. São Paulo: Hagnos, 2008,pp. 20,21

Ler 1453 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Últimos artigos

Assuntos principais

Últimos comentários